Últimas Notícias

[5]

Manter níveis adequados de vitamina D rapidamente reduz a rigidez arterial - e são muitos os deficientes nessa vitamina



Pesquisadores da Georgia Prevention Institute, na Medical College of Georgia (Augusta University), em um estudo publicado recentemente na PLOS ONE, mostraram que, em apenas quatro meses, altas doses de vitamina D reduzem a rigidez arterial em jovens afro-americanos com sobrepeso/obesos relativamente saudáveis mas deficientes nessa.

Rigidez nas paredes arteriais são um fator independente para predizer doenças e mortes cardiovasculares, e, com esse novo estudo, parece que a deficiência em vitamina D contribui com esse problema. Esse parece ser o primeiro estudo clínico randomizado desse tipo, e os benefícios da vitamina D foram proporcionais às doses ingeridas.

Para realizar o estudo, os pesquisadores analisaram 70 afro-americanos (norte-americanos negros) com idade entre 13 e 45 anos, com todos tendo algum grau de rigidez nas artérias. Foram doses variadas, e análise do resultado após 16 semanas.

Participantes tomando 4000 unidades internacionais (UIs) por dia - mais de 6 vezes a recomendação diária (600 UIs) que as autoridades de saúde geralmente recomendam para crianças e adultos -  foram os que mais receberam benefícios. Essa dose reduziu a rigidez das artérias em 10,4% após 4 meses. Já 2000 UIs diariamente diminuíram a rigidez em 2% nesse mesmo período de tempo. Com o consumo de 600 UIs, a rigidez arterial chegou até a aumentar em 1%. O grupo de placebo viu a rigidez aumentar em 2,3%.

Para analisar a rigidez arterial dos voluntários, os pesquisadores usaram uma técnica não-invasiva e de alta qualidade (Gold Stardard) conhecida como 'velocidade da onda de pulso'. As medidas foram tomadas da artéria carótida no pescoço até a artéria femoral - um dos principais vasos sanguíneos que supre a parte inferior do corpo com sangue -, seguindo um padrão de excelência da American Heart Association. Nessa técnica, quando seu coração bate, isso gera uma onda, e com um sistema cardiovascular saudável, observa-se ondas em menor quantidade e de menor intensidade. A técnica, essencialmente, mede a velocidade na qual o sangue está se movendo e, nesse caso, rápido não é bom.

Em estudos anteriores, já havia sido mostrado que doses entre 2000 e 4000 UIs de vitamina D diárias restauram mais rápido e melhor o nível ideal dessa vitamina no sangue (30 nanogramas por mililitro). De acordo com algumas autoridades de saúde (como o Institute of Medicine, EUA), as doses recomendadas diariamente para quem possui 70 anos de idade ou mais é de 800 UIs. Para adultos e adolescentes, o máximo recomendado é de 4000 UIs (até recentemente o limite era de 2000 UIs).

- Continua após o anúncio -



Negros com sobrepeso ou obesos possuem um maior risco de terem deficiência em vitamina D porque a pele mais escura dificulta a ação dos raios solares para a síntese dessa vitamina na pele (todos nós, sob radiação ultravioleta, produzimos vitamina D na pele a partir de certos precursores químicos). Além disso, a gordura em excesso nos tecidos adiposos tende a sequestrar significativa quantidade de vitamina D sem nenhum propósito aparente (é uma vitamina lipossolúvel). No geral, só nos EUA, mais de 80% dos norte-americanos - a maioria aqueles que passam grande parte do dia em lugares fechados - possuem insuficiência ou deficiência em vitamina D. No Brasil, mesmo aqui sendo um país ensolarado, a insuficiência ou deficiência alcança os 60% da população.

15 minutos diários no Sol do período das 10 a.m. e 2 p.m. - mas antes da sua pele ficar vermelha - é a melhor fonte de vitamina D para as pessoas, segundo o autor do estudo e especialista em vitamina D, Dr. Yanbin Dong (também geneticista e cardiologista). Outros especialistas concordam, e chegam a estender o horário até às 3 p.m. Com exceção do rosto, partes do corpo que deveriam estar expostas aos raios solares durante esse intervalo de tempo seriam os braços, as pernas, o abdômen e as costas - e sem o uso de filtro solar, porque esse filtra o UV chegando na pele.

Porém, como você já deve ter percebido, esse é justamente o horário onde é recomendado se evitar o Sol, porque esse seria o mais perigoso por causa da alta incidência do espectro UV mais nocivo. Por outro lado, esse espectro é o usado pela pele para produzir a vitamina D - antes das 9 a.m. e após 3 p.m. o corpo praticamente não consegue sintetizar vitamina D com os raios solares.

Dermatologistas recomendam que um máximo de 15-20 minutos de exposição direta é permitido por causa da vitamina, mas não para pessoas com maior risco de câncer de pele, ou seja, pessoas que têm pele clara, olhos claros, cabelos claros, que têm antecedentes familiares de câncer da pele, se queimam com muita facilidade, se já tiveram queimaduras, e se têm muitas pintas. Para esse grupo de exceção, uma suplementação de vitamina D é o recomendado, caso exista insuficiência ou deficiência nessa vitamina.



Ainda não se sabe completamente o papel da vitamina D em diminuir a rigidez arterial. Ratos sem um receptor específico para essa vitamina possuem uma maior ativação do sistema renina-angiotensina-aldosterona, responsável pelo aumento da constrição dos vasos sanguíneos, o qual pode contribuir para a rigidez arterial. Esse nutriente também pode suprimir a proliferação de células musculares vasculares macias, ativar macrófagos 'comedores-de-lixo' e ativar a calcificação, com todos os três podendo engrossar a parede dos vasos sanguíneos e dificultar a flexibilidade delas.

No final, temos mais um aparente papel de extrema importância da vitamina D, e fica cada vez mais palpável a teoria de que esse nutriente foi o responsável por fomentar a evolução da cor de pele entre os seres humanos (1). E, portanto, a dica mais do que importante para manter seu corpo saudável: sempre acompanhe seus níveis de vitamina D, para evitar a todo custo a deficiência. Caso não exista outra opção, utilize suplementos alimentares. Alguns alimentos industrializados também costumam vir enriquecidos com essa vitamina, como leite e cremes vegetais. Certos peixes, como a sardinha, e os repolhos kale e collard possuem naturalmente boas quantidades de vitamina D. Mas os raios solares sempre serão a melhor e mais barata opção

A Vitamina D é um nutriente essencial - especialmente na gestação e infância - para  evitar o retardamento no crescimento e a osteoporose, prevenir fraturas ósseas e deformidades no esqueleto, e diminuir a fraqueza muscular. Além disso, inúmeros estudos nos últimos anos vêm apontando outros vários papeis importantes dessa vitamina no corpo.

(1) Sugestão de leitura: Vitamina D e a Cor da Pele

Publicação do estudo: PLOS ONE

Referência adicional: Entrevista Câmara.leg

Manter níveis adequados de vitamina D rapidamente reduz a rigidez arterial - e são muitos os deficientes nessa vitamina Manter níveis adequados de vitamina D rapidamente reduz a rigidez arterial - e são muitos os deficientes nessa vitamina Reviewed by Saber Atualizado on janeiro 03, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário:

Sora Templates

Image Link [https://2.bp.blogspot.com/-XZnet68NDWE/VzpxIDzPwtI/AAAAAAAAXH0/SpZV7JIXvM8planS-seiOY55OwQO_tyJQCLcB/s320/globo2preto%2Bfundo%2Bbranco%2Balmost%2B4.png] Author Name [Saber Atualizado] Author Description [Porque o mundo só segue em frente se estiver atualizado!] Twitter Username [JeanRealizes] Facebook Username [saberatualizado] GPlus Username [+jeanjuan] Pinterest Username [You username Here] Instagram Username [jeanoliveirafit]