Últimas Notícias

[5]

Quer memorizar melhor? Novo estudo sugere ler em voz alta



Um recente estudo realizado na Universidade de Waterloo, Canadá, e publicado no periódico Memory, concluiu que você é mais provável de lembrar de algo caso leia a informação visada em voz alta.

O estudo testou quatro métodos visando o aprendizado de uma informação escrita, incluindo leitura silenciosa, ouvir outra pessoa lendo, ouvir a uma gravação de si mesmo lendo, e ler em voz alta em tempo real. 95 participantes foram incluídos nos testes.

Os resultados mostraram que ler em voz alta resultou em uma melhor memorização da informação, ou seja, ajuda as palavras a serem fixadas na memória de longo prazo do cérebro.

Para explicar esses resultados, os pesquisadores usaram o termo "efeito de produção", onde a ação dupla concomitante da fala e da audição produz os maiores impactos de benefícios para a memória. Nesse sentido, quando se adiciona um elemento de produção (atividade extra) a uma palavra, essa palavra se torna mais distinta na memória de longo prazo e, portanto, se torna mais memorável.

- Continua após o anúncio -



Isso reforça estudos anteriores mostrando que o efeito de atividades junto à leitura, como a escrita e a digitção, ajudam a formar mais sólidas memórias.

Concluindo, caso você esteja estudando para um prova, talvez a melhor estratégia seja fazer uma leitura em voz alta ou escrever o que está lendo para uma melhor retenção de informações, ao invés de apenas fazer prolongadas leituras silenciosas, como grande parte das pessoas fazem.

Referência: Waterloo University 

Quer memorizar melhor? Novo estudo sugere ler em voz alta Quer memorizar melhor? Novo estudo sugere ler em voz alta Reviewed by Saber Atualizado on dezembro 02, 2017 Rating: 5

2 comentários:

  1. Discordo. Em 1996 entrei em um curso de Leitura Veloz e Memorização, com foco na Neurolinguística, pela empresa LUCLA, em Recife. Achava que lia bastante rápido (230 palavras por minuto), falando enquanto lia. Após os 4 dias de curso, em que se recomendava evitar a vocalização, minha velocidade de leitura avançou para 2.500 ppm. A recomendação é exatamente NÃO FALAR, NÃO LER EM VOZ ALTA. E, pelo menos comigo, deu muito certo. Leio em bloco, procurando não ler "letra por letra", mas enquadrar cada palavra como um todo. Quando mais rápido se lê, mais prático se fica. Além disso, para os novatos na taquilexia, lendo dinamicamente, mesmo que, nas primeiras práticas, algumas palavras são esquecidas, pode ser compensado com a re-leitura do texto, também dinamicamente, que firma mais "profundamente" na memória o texto. A taquigrafia (escrita veloz - escrita simultaneamente com a audição do discurso), também tem a vantagem de firmar mais na memória aquilo que se ouve e escreve. Tive prejuízo: comprei um livro, no centro de Recife, e fui lendo no ônibus, em pé, até chegar em casa, em Olinda. Quando cheguei, já tinha lido todo o livro. Foi na hora do "rush', e eu lia em pé, enquanto o ônibus ia aos solavancos. Só de birra, reli o livro todo, assim que cheguei. Acho que a vocalização desvia a atenção, e torna mais difícil a memorização.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, mas você não pode extrapolar sua experiência para todas as outras pessoas. Isso não é científico. Além disso, você está fazendo uma avaliação de si mesmo, com parâmetros criados por você.

      Excluir

Sora Templates

Image Link [https://2.bp.blogspot.com/-XZnet68NDWE/VzpxIDzPwtI/AAAAAAAAXH0/SpZV7JIXvM8planS-seiOY55OwQO_tyJQCLcB/s320/globo2preto%2Bfundo%2Bbranco%2Balmost%2B4.png] Author Name [Saber Atualizado] Author Description [Porque o mundo só segue em frente se estiver atualizado!] Twitter Username [JeanRealizes] Facebook Username [saberatualizado] GPlus Username [+jeanjuan] Pinterest Username [You username Here] Instagram Username [jeanoliveirafit]