Últimas Notícias

[5]

Cães parecem ser bem mais inteligentes que os gatos



Publicado no Frontiers in Neuroanatomy, um estudo - o primeiro do tipo - trouxe a exata contagem do número de neurônios corticais do cérebro de alguns carnívoros, incluindo cães e gatos, e encontrou que os cães possuem uma quantidade significativamente maior deles do que os gatos.

Os pesquisadores nesse estudo estavam interessados em comparar diferentes espécies na ordem Carnivora - a qual consiste em mais de 280 espécies de mamíferos que possuem dentes e garras adaptadas para a caça de outros animais - para ver como o número de neurônios em seus cérebros estava relacionado ao tamanho cerebral.

Foram analisados os cérebros de um ou dois espécimes para cada oito espécies de carnívoros:
furão, fuinha, cacum, cão, gato, hiena, leão e urso-pardo. O grupo carnívora foi escolhido justamente por causa da sua diversidade (inclui carnívoros, onívoros e quase herbívoros - como o panda) e por conter tanto animais domesticados quanto selvagens.



O número de neurônios no córtex cerebral - células em uma região associada com o planejamento e comportamento complexo - está relacionado, de um modo geral, com o grau de inteligência cognitiva do animal. Antes do estudo, existia uma hipótese intuitiva de que os carnívoros, por serem predadores, possuíam essa região mais desenvolvida, ou seja, com uma maior número de células realizando uma mais complexa interação. Isso porque, à primeira vista, os predadores precisariam planejar e otimizar mais seu comportamento para a caça, enquanto as presas herbívoras não precisariam de tanto esforço cognitivo.

Porém, os resultados da pesquisa não mostraram isso! Os pesquisadores determinaram a razão de neurônios com o tamanho cerebral em pequenos e médios carnívoros e mostraram que o valor era praticamente o mesmo para os herbívoros, sugerindo que existe uma pressão evolucionária de mesma intensidade atuando no poder cerebral em ambos os tipos de animais. Ou seja, herbívoros possuem um grau de cognição também elevado, provavelmente para otimizar melhor as fugas e comportamentos de proteção, e não são apenas "carnes" com pernas.

Na verdade, para os maiores carnívoros o tamanho da razão cérebro-neurônios é até menor do que nos seus companheiro de menores dimensões corporais. O cérebro do perdigueiro, por exemplo, possui um número maior de neurônios no córtex do que a hiena, leão e o urso-pardo, mesmos com os predadores mais encorpados e robustos possuindo cérebros acima de três vezes maiores. O urso-pardo, nesse caso, é um exemplo extremista, onde seu cérebro é 10 vezes maior do que um de um típico gato, mas que possui cerca do mesmo número de neurônios.


- Continua após o anúncio -



Caçar requer bastante energia, particularmente para maiores predadores, e os intervalos entre caças de sucesso são imprevisíveis. Isso explica porque grandes carnívoros, como leões, gastam a maior parte do tempo deles descansando e dormindo. Em termos de energia, o cérebro é o órgão que mais gasta os recursos do corpo e suas exigências são proporcionais ao número de neurônios, além de manter uma alta exigência energética continuamente. Como consequência, a quantidade de carne que os grandes predadores podem caçar e consumir, e os jejuns intermitentes associados, parecem limitar o desenvolvimento cerebral.

Somando-se a isso, os achados do estudo também vêm para desafiar a prevalente visão de que animais domesticados possuem um menor tamanho cerebral do que os seus "primos" selvagens. A razão do tamanho cerebral para a dimensão corporal nas espécies domesticadas analisadas - cães, gatos e furões - não são significativamente diferentes dos representantes selvagens analisados. E um grande destaque vai para o racum, o qual possui uma densidade neural no córtex cerebral no mesmo nível de primatas! Não é à toa que as pessoas os acham tão espertos.


- Continua após o anúncio -



E falando nisso, aqui vêm pistas para esclarecer uma popular disputa: quem é mais inteligente: um cão ou um gato? Geralmente tendemos a associar uma maior inteligência aos gatos, caracterizando esses últimos como "malandros" e bastante espertos. Porém, os pesquisadores encontraram o que parece ser o contrário: os cães possuem cerca de 530 milhões de neurônios corticais, enquanto os gatos possuem cerca de 250 milhões, menos do que a metade!


Segundo a opinião dos pesquisadores, o número absoluto de neurônios em um animal, especialmente no córtex cerebral, determina o quão rico é o seu estado mental e a sua habilidade de predizer o que está para acontecer no ambiente baseado em experiências passadas. Nesse sentido, parece que os cães possuem muito mais complexidade e flexibilidade em suas vidas do que os gatos.

Bem, no final, uma coisa é certa: esse estudo não agradou em nada os amantes de gatos e a briga entre cães e gatos só esquentou (Risos).

Publicação do estudo: Frontiers

Referência adicional: Vanderbilt University

Cães parecem ser bem mais inteligentes que os gatos Cães parecem ser bem mais inteligentes que os gatos Reviewed by Saber Atualizado on dezembro 04, 2017 Rating: 5

Nenhum comentário:

Sora Templates

Image Link [https://2.bp.blogspot.com/-XZnet68NDWE/VzpxIDzPwtI/AAAAAAAAXH0/SpZV7JIXvM8planS-seiOY55OwQO_tyJQCLcB/s320/globo2preto%2Bfundo%2Bbranco%2Balmost%2B4.png] Author Name [Saber Atualizado] Author Description [Porque o mundo só segue em frente se estiver atualizado!] Twitter Username [JeanRealizes] Facebook Username [saberatualizado] GPlus Username [+jeanjuan] Pinterest Username [You username Here] Instagram Username [jeanoliveirafit]